terça-feira, 24 de setembro de 2013

Capítulo 5

Vincent não era uma pessoa ruim, na verdade, só era rigoroso porque era o seu dever como príncipe e na maioria das vezes isso não é respeitado por seus pais. A Ordem dos Vampiros é a união dos nove vampiros puros mais poderosos da sociedade, criada para manter a paz e tranquilidade entre as três raças: humanos, vampiros e mestiços, para que os humanos não descubram a existência das outras raças e, evitando assim, aniquilações, extinção e sangue derramado à toa. Apenas os líderes dos clãs superavam superava a autoridade dessa Irmandade, o que fazia da Ordem mais um grupo de guardiões do que líderes. E Vincent era o mestre deles, por ser o príncipe mais poderoso ainda vivo, com isso tinha plena experiência em liderança. Todos os respeitavam. Ele havia participado de inúmeras batalhas por território e era um guerreiro perfeito, sonho de todas as fêmeas da sociedade.
Mas, dentre todos os seus desafios, nenhum tinha sido tão difícil quanto explicar a Rose a nova situação. Ela se recusava a acreditar, não importava os argumentos que ele usava. Então, decidiu que era melhor deixa-la sozinha enquanto resolvia questões do acordo com seus pais.
- Vai me deixar aqui? Quero voltar para casa! – ela disse, avançando rapidamente quando ele caminhou até a porta do quarto, repreendendo-se logo que chegou perto demais.
Vincent a observou de cima a baixo. O semblante franzido revelou que estava incomodado com a situação de se virar e deparar-se com daquela mulher antes de abrir a porta para sair. Ele suspirou. Os seios estavam se destacando no decote e o batom vermelho atraíra sua atenção para os lábios, ainda mais com ela respirando nervosamente, tornando ambos atrativos.
O fato de Rose ter se repreendido deve-se primeiramente ao medo. Ele a sequestrara e ela tinha motivos de sobra para isso. Mas, segundo, aquele olhar duro e frio manteve-a petrificada, ela engoliu em seco quando se viu nervosa, observando aqueles músculos destacados e desejando poder tocá-lo, abraça-lo. O desejo era sentido no ar, até por aqueles olhos azuis e luminosos.
Mas nada aconteceu.
- Você não pode. Logo irá se transformar e precisará do meu sangue. E vai se casar comigo! – aquilo parecia ter sido dito mais para ele mesmo do que pra ela.
E então uma porta foi batida com força.
...
Melissa passou as mãos pelo rosto, tentando manter a calma quando saiu da casa de Ila com os policiais. Dentro do carro, ela apoiou a cabeça sobre o braço que estava sobre o volante, apenas pensando em como resolver aquela situação. Já não dormia há quase um dia, andando de um lado pro outro, ajudando na investigação do paradeiro de Rose e o sono lhe cobrava uma energia que ela não tinha agora. Não pensara que, depois de tantos anos fingindo não ligar pra nada, algo se tornaria tão evidentemente importante para ela. Uma amiga. A melhor amiga.
O policial Matt passou a mão por suas costas, carinhosamente, a fim de lhe transmitir apoio, mas tudo o que ela queria eram notícias boas e, infelizmente, isso ele não podia lhe dar por enquanto. Rose já havia sido sequestrada a mais de um dia e isso queria dizer que o pior já poderia ter acontecido, mas todos preferiram manter o pensamento positivo, mesmo não tendo nenhuma pista sequer do homem que a levara.
O retrato falado que as testemunhas fizeram do sujeito não ajudara muito, pois a descrição fora mal feita e não muito específica se comparada com todos os marginais e líderes de gangues. E nem sabiam o nome do homem. Então não podiam fazer muita coisa, a não ser esperar. E isso matava tanto Melissa quanto Tyler.
Eles queriam sua menina de volta. Antes que algo pior acontecesse.
Tyler fora no apartamento de Melissa mais a tarde para saber mais novidades.
- Você não deveria estar trabalhando a essa hora? – ela perguntou ao abrir a porta.
- Deveria... Como você sabe quando eu trabalho? – Melissa se manteve calada até que ele entendesse – Ah!
- Entra! – deu espaço e fechou a porta – Eu não estava esperando visita e está tudo uma bagunça aqui!
- Sem problemas. Eu só queria saber se você tem notícias. A polícia me manteve longe da investigação porque disseram que eu estava muito nervoso e ferido. Mas você está acompanhando tudo de perto.
- Não sei mais do que você. Ninguém sabe quem era o cara e a polícia não pode fazer muita coisa sem a placa do carro, descrição mais específica ou nome dele.
- Desgraçado! – rosnou Tyler.


Melissa apenas reprimiu os lábios, sem poder dizer nada para ele, continuou olhando para os próprios pés. Tyler, que achou isso um pouco estranho, encarou a garota. Ela, que sempre estava de bom humor, soltando piadas arrogantes até nas horas erradas, respeitou a situação dessa vez e isso admirou a Tyler naquele momento. Ele viu o que Rose vira ao se tornar a melhor amiga dela.
....................................................................
Oi, gente! Muito obrigada pelos comentários, é bom saber que estão acompanhando! :D
O que vocês acham que vai acontecer daqui em diante?
Me digam! :)
Beijos
Respostas aqui e aqui
Até logo!

4 comentários:

  1. O.M.G.
    To achando que a Rose vai se apaixonar pelo Vincent...kkkkkkk.
    Tá perfeito <3 <3
    Posta logo
    Beijos flor XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. só acha?? kkkkkk
      obrigada, flor!*-*
      postado!
      beijokks

      Excluir
  2. Ei!
    Olha safadeza desses dois!!
    Sei não, o Tyler tá observando muito a Melissa...
    To com um pouco de pressa, então o comentário vai sair essa merda aqui :/
    Posta o/
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk ele só tá impressionado!
      não tem problema, o importante é que vc leu!
      postado!
      beijos

      Excluir

O que você achou? :)

 renata massa